PalestranteSreten Ugričić

Instituição Biblioteca Nacional da Sérvia

Assunto ARevista de Vanguarda Zenit 1921-1926

Zenit, uma Revista Internacional de Arte e Cultura, foi uma iniciativa de Ljubomir Micić, em fevereiro de 1921 em Zagreb. A edição mensal da revista parou na edição de número 24, de maio de 1923 quando, após uma polêmica bastante tensa, o escritório editorial foi obrigado a se mudar para Belgrado. A fase de Belgrado foi marcada por edições irregulares e lentas, por mudanças frequentes no formato geral e função do jornal. A tentativa audaciosa e pouco comum de publicação, que continuou com o número 25 em fevereiro de 1924, após uma interrupção de vários meses terminou, contra a vontade do editor, com a proibição em dezembro de 1926, que incluiu o número 43. A direção editorial tentou resolver o problema da irregularidade de edição reunindo diversas edições numa só, o que algumas vezes diferenciava do ritmo costumeiro de edição, com edições duplas (17/18, 19/20) transformando-se em edições óctuplas (26/33), formalmente adaptadas ao ritmo de periodicidade do calendário. Além diso, a estratégia de edição expressava-se tanto no nível formal quanto com relação a seleção do conteúdo da revista. Quando em termos teóricos e práticos assumia determinadas atitudes, a Zenit, dantes uma revista almanaque, tornou-se um veículo programático - após a publicação do Manifesto Internacional do Zenitismo (junho de 1921). A mudança para o trabalho de propaganda na Alemanha manifestou-se numa edição em poster, enquanto a impressão da Zenit em páginas (1922) pode estar ligada ao lema de vanguarda russo que pregava levar as artes para as ruas. A edição sob a forma de um catálogo de exposição (1924) ou aquela com um suplemento incluindo apenas o programa dos serviços vesperinos Zenitistas celebrados em Zagreb (1923) podem ser consideradas como um gênero de revista extremamente inovador .

A Zenit remonta ao tempo do recém-criado estado da Sérvia, Croácia e Eslovênia, e da Europa pós-guerra, esgotada pela guerra mundial, quando esta foi colocada, pela primeira vez, frente ao tema principal de sua história - crença na esperança, salvação e renovação. Ao mesmo tempo, acreditava-se que era o fim da velha Europa, que há muito tempo detinha o monopólio da cultura, e que o aparecimento, no cenário europeu, de valores nacionais negligenciados era algo inevitável e possível.

A revista de vanguarda Zenit é de âmbito nacional e europeu, de um programa original e poético, geralmente oposta à negada tradição européia e com seus ecos ainda bastante fortes na vida contemporânea, seus sistemas políticos e economicos, desenvolvidos no poder  reforçado da capital - em nome da aceitação dos valores construídos sobre a pressuposição da renovação interior do homem, da superação da materialidade externa através de contéudos internos. Com seu programa intelectual, a Zenit é basicamente internacional: visava a criação de uma Europa unida e totalmente nova, independentemente de raças, nacionalidades, línguas, ideais e inclinações ideológicas. Foi uma tentativa de construir uma nova Torre de Babel, apesar da mistura de nações.

Quanto à sua origem, a Zenit, apoiando-se em Dimitrije Mitrinović e Jovan Cvijić, começa por ocupar-se com a recém-renascida temática centrada nos Bálcãs, acessível devido à mudança de interesse em relação à beleza das formas pré-culturais, primitivas e arcaicas, de pensar e se apresentar.  A ênfase daquela identidade e espírito incluia a separação de outras esferas culturais da Europa, que deveriam ser balcanizadas.A Zenit compatilhava esta ideia com muitos russos futuristas. A saber, eles alegavam que tinham que ser considerados asiáticos, para poder se libertar do jugo europeu.

Não foi por acaso que a Zenit priorizou a repetição de várias edições da revista, como se quisesse lembrar a cada ano, com a sua edição de fevereiro, do início do futurismo italiano, ou marcando o Outubro Russo com a edição de outubro.

Quanto à posição do editor, não havia oposição interna, uma vez que era de propriedade exclusiva de Ljubomir Micić, com uma breve participação de Boško Tokin, Rastko  Petrović e Branko Ve Poljanski, com exceção de várias edições do final de 1921 e início de 1922, quando Ivan Gol participou do programa de formatação da Zenit.

Por fim, é necessário ressaltar que a iniciativa da Zenit coincidiu bastante com as iniciativas de outras revistas européias da época, embora em alguns casos, ultrapassasse a todas elas, e isso de um programa mais ou menos específico e de uma plataforma estética que conseguiu reunir um grande número de representantes modernos e vanguardista da Iugoslávia, da Rússia e do Ocidente.