PalestranteChristopher M. Murphy

Instituição Biblioteca do Congresso

Assunto Caligrafia da Escrita Árabe

A escrita árabe se desenvolveu com um meio artístico/caligráfico durante um período de aproximadamente 1000 anos, do século XV da era atual ao século XVI daquela era. Dos inícios humildes de um sistema de escrita designado a registrar dados comerciais e inscrições funerárias ocasionais, a escrita árabe desenvolveu-se e floresceu como um veículo de expressão artística mundialmente renomado. .

Com a escrita do Alcorão e o início das ciências religiosas islâmicas, a escrita árabe necessariamente começou a se tornar refinada, a fim de atender às novas necessidades a que estava sujeita. As formas iniciais da escrita, por exemplo Hijazi, assim chamada por causa do Hijaz onde as cidades de Meca e Medina estavam localizadas, não tinham nem sinais de marcação de vogais, nem marcadores para diferenciar  letras com formas semelhantes, como por exemplo, as letras ba e ta. Logo após a Hijazi, e outras formas de escrita iniciais, vem a forma de escrita Kufic, desenvolvida no Iraque durante o século VIII da era atual, final do século II da era islâmica. A Kufic rapidamente desenvolveu marcadores para vogais ediferenciou letras de formato parecido criando, assim, os primeiros exemplos verdadeiramente belos da caligrafia do Alcorão.

A escrita Kufic seguiu caminhos de desenvolvimento divergentes em países islâmicos centrais e do leste, por um lado, e ao norte da África por outro lado. No Ocidente, a Kufic ocidental desenvolveu-se na escrita Maghribi usada na Espanha islâmica e no Norte da África, e que deu origem às escritas locais oeste-africanas, comumente chamadas Sudani, as quais são usadas para escrever os idiomas árabe e africanos locais até os dias de hoje. Há muitos excelentes exemplos de caligrafia usando a escrita Maghribi, incluindo os Alcorães em formato grande, copiados durante os séculos XIV e XV da era atual.

Nas terras islâmicas centrais e orientais, durante o século XI da era atual, o Kufic Oriental se desenvolveu em, e foi subsitituído por, seis formas importantes da escrita árabe. São: Naskh, Thuluth, Rayhanni, Muhaqqaq, Taliq e Riqah. Todas essas escritas são utilizadas até os dias de hoje e muitos, se não a maioria, dos grandes monumentos da caligrafia árabe, seja a pena no papel ou a gravação em pedra, são escritos em uma destas escritas. Naskh, Thuluth, Rayhanni e Muhaqqaq são todas utilizadas para copiar o Alcorão, enquanto que Taliq e Riqah raramente são utilizadas. A Musahif, a escrita do livro, deriva das quatro escritas alcorânicas e transformou-se na escrita mais comumente utilizada para copiar o Alcorão. Riqah tornou-se a forma cursiva moderna da escrita árabe, cotidianamente utilizada nas terras islâmicas centrais.

Na Turquia Otomana, no Irã e no Extremo Oriente, a forma Nastaliq da escrita é usada para copiar obras literárias e seculares. Esta forma de escrita árabe foi desenvolvida no Irã, baseada numa combinação de formas de Naskh e Taliq. Seu primeiro grande mestre foi o sultão Ali Mashshadi, que trabalhava na corte do sultão Husayn Bayqara, Rei de Herat, no final do século XV e início do século XV da era atual. A escrita Nastaliq é utilizada em todo o mundo islâmico oriental, contudo raramente é utilizada para copiar o Alcorão.