PalestranteBarbara A. Tenenbaum

Instituição Biblioteca do Congresso

AssuntoCarta de Confirmação de Concessão de Título de Nobreza (1600)

Este belo manuscrito em velino contém ilustrações em púrpura, verde, vermeho, azul, marrom, branco, amarelo e um pouco de folha de ouro, raro no México no início do século XVII. Na primeira folha, vemos Maria com o Menino Jesus rodeados por nuvens. Abaixo, há uma imagem de Cristo falando para um santo vestindo o hábito franciscano. Provavelmente, o uso da iconografia religiosa foi feito pensando-se que este poderia ajudar a súplica contida no documento, para mostrar que o que se seguiria fora realizado por alguém com sensibilidades e gostos religiosos. No outro lado, há um retrato por inteiro do precursor do clã Martinez, Ferrán Martinez, em armaduracompleta, contemplando o brasão da família. Tem, também, uma encardenação muito bonita, também pouco comum para aquele período no México. É parte de um processo judicial interposto por Magdalena Martínez de Orejón e seu irmão, Francisco Martínez Orejón, contra Martín Lopez Arenchu. Ao reivindicar status de nobre, Martínez Orejón poderia manter-se longe da prisão caso o veredicto fosse contra ele.

Tudo isso, porém, pareceria levemente interessante, não fosse um fato salientar-se. Magdalena Martínez de Orejón era a esposa de Sebastián Vizcaino, um conhecido comerciante da Cidade do México e o fundador da cidade de La Paz, a atual capital do estado mexicano de Baja California Sur. Vizcaino havia equipado três navios e navegado de Acapulco para Baja Califórnia, sob as ordens do vice-rei. Mais tarde, fez outra expedição para aquela área, primeiro chegando ao Cabo San Sebastián e, em seguida, indo diretamente até o Cabo Mendocino, que passaria a ser o estado da Califórnia, nos Estados Unidos. A caminho, ele descobriu uma baía que batizou em homenagem ao vice-rei da Nova Espanha, o Conde de Monterrey. Este é, portanto, seu testemunho demonstrando o status de nobreza de sua esposa e do irmão desta, e é devidamente iluminado para refletir o nível de seu próprio status na colônia.