PalestranteBarbara A. Tenenbaum

Instituição Biblioteca do Congresso

AssuntoCódice de Huexotzinco (Parte da Coleção Harkness, Divisão de Manuscritos)

Este manuscrito é considerado, pela Biblioteca do Congresso, como um dos seus maiores tesouros. Estudiosos chamam os "livros" criados pelos mesoamericanos de "Códice ou códices ou no plural" . Um códice é, em geral, um manuscrito desenhado que se abre como uma tela dobrada, ao invés de serem encadernados da maneira como os europeus estavam acostumados.

Este manuscrito em particular, de 8 folhas de papel amate feito de casca de árvore, foi criado pelo povo da cidade de Huexotzinco no atual estado de Puebla, no México, por volta de 1531. Foi feito a pedido do conquistador Hernán Cortés, como parte de uma ação judicial, por ele instaurada, contra a Primeira Audiência da Nova Espanha. Cortes havia confiado cegamente nos guerreiros indígenas, como aqueles de Huexotzingo, em sua batalha contra o odiado regime asteca. Após a derrota dos astecas na Cidade do México, Cortes responsabilizou-se a converter o povo da Huexotzinco ao cristianismo, trabalho pelo qual supostamente ele haveria de receber honorários. Mas enquanto ele estava na Espanha, durante os anos 1528-1530, a Audiência, ao invés disto, recolheu os impostos e, de acordo com os povos indígenas, pedindo muito mais deles do que havia feito antes.

O que torna este Códice de Huexotzinco tão extraordinário é que ele contém aquilo que os estudiosos consideram ser a primeira representação pictórica da Madona e a Criança, no Novo Mundo. Talvez ela tenha sido colocada lá deliberadamente pelos artistas indígenas, para ajudá-los a solidificar o seu caso, mostrando à Coroa e aos juristas espanhóis, o quão civilizados eram e que eles eram cristãos devotos. Em outras palavras, que Cortes havia feito o melhor para eles. O Códice contém representações pictóricas ddo montante exato do imposto exigido, de forma tal que aqueles que julgariam o caso poderiam determinar se os argumentos eram válidos.

Cortes e o povo de Huexotzinco sairam vitoriosos no México e na Espanha e em 1538 o Rei Carlos havia aceito tal determinação, e ordenou que dois terços de todos impostos aplicados haveria de ser devolvido.