Filtrar Resultados:

Lugar

Período

Tópico

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Idioma

Instituição

91 resultados
Um mapa hidrográfico e corográfico das Ilhas Filipinas
Este magnífico mapa do arquipélago filipino, desenhado pelo padre jesuíta Pedro Murillo Velarde (1696–1753) e publicado em Manila, em 1734, foi o primeiro e mais importante mapa científico das Filipinas. Na época, as Filipinas eram uma parte vital do Império Espanhol e o mapa mostra as rotas marítimas de Manila à Espanha e à Nova Espanha (México e outros territórios espanhóis no Novo Mundo), com legendas. Na margem superior se encontra uma grande cártula com o título do mapa, coroada pelo brasão real espanhol ladeado em cada lado por ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional da Espanha
Atlas geral de todas as ilhas do mundo
O Islario general de todas las islas del mundo (Atlas geral de todas as ilhas do mundo) é o maior trabalho feito pelo cosmógrafo de Sevilha, Alonso de Santa Cruz (1505–1567). O atlas foi iniciado durante o reinado do Sacro Imperador Romano e do Rei da Espanha Carlos V e concluído no reinado de seu filho, o Rei Filipe II, a quem ele foi dedicado. Ele consiste em 111 mapas que representam todas as ilhas e penínsulas do mundo e que mostram todas as descobertas feitas por exploradores europeus ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional da Espanha
Java e Austrália
Este mapa manuscrito de Java e do extremo norte da Austrália, é cópia de um trabalho anterior feito pelo cartógrafo malaio-português Emanuel Godinho de Eredia (1563-1623). No século XVI, Portugal enviou várias expedições para explorar as ilhas ao sul da Malásia; é possível que eles tenham obtido algum conhecimento sobre a geografia da Austrália como resultado destas missões. Alguns estudiosos especularam que os malaios tinham conhecimento da Austrália, que Eredia absorveu de alguma forma. O primeiro avistamento europeu documentado da Austrália, foi o do navegador holandês Willem Janszoon, em 1606.
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Brasil
Codicilo da Rainha Isabel, a Católica, assinado em Medina del Campo, no dia 23 de novembro de 1504
No dia 23 de novembro de 1504, três dias antes de sua morte, a Rainha Isabel de Espanha assinou, em Medina del Campo, um codicilo perante o mesmo notário, Gaspar de Gricio, e cinco das sete testemunhas que estiveram presentes no dia 12 de outubro para a assinatura de seu último testamento. No testamento, a rainha tratou dos aspectos fundamentais do governo pelos monarcas católicos. No codicilo, além de reafirmar o que tinha estipulado no testamento, ela abordou questões que afetavam diretamente o governo da península e mostrou sua preocupação ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional da Espanha
A República Holandesa, Ampliada e Editada: Produzido com o Cuidado e o Trabalho de Matthaeus Seutter
Este mapa, das Províncias Unidas da Holanda, foi gravado por Matthaeus Seutter (1678-1757), um gravador e editor de Augsburg, Alemanha. Seutter fez o curso de impressão em Nuremburg e em Augsburg, como aprendiz de Jeremias Wolff, antes de fundar sua própria editora em 1710. Seutter, em geral, ampliava e gravava o trabalho dos outros, mas fez muito poucos desenhos originais de mapas. Este mapa foi impresso por Tobias Conrad Lotter (1717-77), genro de Seutter, que assumiu o negócio após a morte dele.
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Brasil
Povoado nas Índias Orientais
Este esboço faz parte de um conjunto de 27 desenhos em 15 folhas, descoberto na Biblioteca Nacional da África do Sul em 1986, apresentando as mais antigas ilustrações realistas dos Khoikhoi, habitantes originais do Cabo Ocidental. O desenho mostra uma cena bucólica nas Índias Orientais Holandesas com a flora tropical, habitações humanas simples e uma figura solitária em primeiro plano. O artista que fez os desenhos desta coleção não foi identificado. O mais provável é que o artista tenha sido um holandês, nascido no século XVII, que estava de alguma ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional da África do Sul
Povoado nas Índias Orientais
Este esboço faz parte de um conjunto de 27 desenhos em 15 folhas, descoberto na Biblioteca Nacional da África do Sul em 1986. Os desenhos são importantes por apresentar as mais antigas ilustrações realistas dos Khoikhoi, habitantes originais do Cabo Ocidental. O esboço ilustra um povoado holandês nas Índias Orientais, mostrando uma rua com edifícios e árvores. Um desenho semelhante com as mesmas estruturas na coleção do Rijksprentenkabinet em Amsterdã foi atribuído a Cornelis de Bruyn (por volta de 1652–por volta de 1727). Este desenho a lápis é o ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional da África do Sul
Veado-ladrador da Sumatra
Esta ilustração provavelmente representa um Muntiacus muntjak muntjak ou Muntiacus muntjak montanus (o veado-ladrador da Sumatra) e faz parte de um conjunto de 27 desenhos em 15 folhas, descoberto na Biblioteca Nacional da África do Sul em 1986. Os desenhos são importantes por apresentar as mais antigas ilustrações realistas do povo Khoikhoi, habitantes originais do Cabo Ocidental. O mais provável é que o artista tenha sido um holandês, nascido no século XVII, que estava de alguma maneira ligado à Companhia Holandesa das Índias Orientais e possivelmente a caminho das Índias ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional da África do Sul
Tapir-da-malásia
Esta ilustração de um Tapirus indicus (o tapir-da-malásia ou asiático) faz parte de um conjunto de 27 desenhos em 15 folhas, descoberto na Biblioteca Nacional da África do Sul em 1986. Os desenhos são importantes por apresentar as mais antigas ilustrações realistas do povo Khoikhoi, habitantes originais do Cabo Ocidental. O artista não foi identificado. O mais provável é que o artista tenha sido um holandês, nascido no século XVII, que estava de alguma maneira ligado à Companhia Holandesa das Índias Orientais e possivelmente a caminho das Índias Orientais Holandesas ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional da África do Sul
O mapa-múndi completo
A autoria desta obra é desconhecida. O nome da pessoa que copiou o manuscrito aparece no final da obra, assinado como Zhou Yousheng. Alguns atribuem a autoria a Ai Nanying (1583 a 1646), ensaísta e crítico literário do final do período Ming, que escreveu uma obra chamada Yu Gong tu zhu (Texto explicativo do mapa de Yu Gong), cujo conceito central era o ponto de vista chinês tradicional sobre geografia. De acordo com essa perspectiva, Yu, da dinastia Xia (entre 2070 a.C. e 1600 a.C., aproximadamente), dividiu o ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional Central
Os mapas administrativos da dinastia Ming (cópia incompleta)
O autor desta obra foi Chen Zushou (falecido em 1637), um escritor de literatura do final do período Ming. Nativo de Yanling (atual Changzhou, província de Jiangsu), Chen Zushou recebeu seu jin shi em 1634 e, no ano seguinte, tornou-se um oficial do Departamento de Operações, um dos quatro departamentos do Ministério da Guerra. Em 1636, enquanto trabalhava como ministro, ele escreveu este livro, com base em um grande número de obras anteriores e registros locais contemporâneos, incluindo mapas. A edição original, muito rica em conteúdo, conta com três juan ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional Central
Carta de Damar Wulan
O Serat Damar Wulan (MSS.Jav.89) é um dos mais belos manuscritos indonésios da Biblioteca Britânica, com um tesouro de ilustrações que retratam a sociedade javanesa no final do século XVIII. As imagens são cheias de humor e o artista possuía um olhar fantástico para expressões faciais e posturas corporais (por exemplo, uma mulher dormindo com seu braço sobre os olhos, uma sandália equilibrada em um pé). Objetos quotidianos são retratados em detalhes fascinantes, desde gaiolas para pássaros até vasos de jardim e tecidos, com incríveis cenas de música ...
Fornecido por
Biblioteca Britânica
Retratos das doações do Rei Mindon em vários lugares, de 1853 a 1857
Este manuscrito birmanês (Or 13681), da Biblioteca Britânica, mostra sete cenas de doações do Rei Mindon em vários lugares, durante os quatro primeiros anos de seu reinado (1853 a 1857). O artista não apenas representou as sete diferentes cerimônias históricas e meritórias do Rei Mindon, como também descreveu o custo das doações reais em detalhes. O parabaik (livro dobrável) de meados do século XIX possui capa de couro vermelho, com a seguinte inscrição em letras douradas na capa “Retratos das doações do Rei Mindon em vários lugares, a partir do ...
Fornecido por
Biblioteca Britânica
Tratado de massagem
A medicina tradicional tailandesa é uma disciplina holística, que envolve o uso extensivo de tratamentos herbóreos indígenas e de massagens com pressão, combinados a aspectos de espiritualidade e bem-estar mental. Tendo sido influenciada pelos conceitos indianos e chineses de cura, a medicina tradicional tailandesa compreende a doença não como uma questão puramente física, mas também como um desequilíbrio entre o paciente e seu mundo social e espiritual. Os manuscritos médicos tailandeses escritos durante o século XIX fornecem uma ampla visão geral de diferentes métodos de tratamento e prevenção, de compreensão ...
Fornecido por
Biblioteca Britânica
Ramayana
A origem da tradição oral da história birmanesa de Ramayana pode ser traçada desde o reinado do Rei Anawrahta (ativo entre 1044 e 1077), fundador do primeiro império birmanês. A história foi transmitida oralmente de geração a geração, antes de ter sido escrita em prosa, verso e como peça teatral. O exemplo mais antigo conhecido da versão birmanesa do Ramayana é o Rama Thagyin (Canções de Ramayana), compilado por U Aung Phyo em 1775. Uma cópia em três volumes da história de Rama, chamada Rama vatthu foi escrita em folha ...
Fornecido por
Biblioteca Britânica
Anais malaios
Por volta de 1400, um príncipe de Sumatra chamado Parameswara fundou um assentamento na foz do Rio Melaka, na costa oeste da Península Malaia. Um de seus sucessores se converteu ao Islã, e o assentamento de Malaca logo cresceu e se tornou o maior reino islâmico do Sudeste da Ásia. Um centro de comércio de especiarias conhecido como “Veneza do Oriente”, a cidade atraiu mercadores de lugares longínquos como Arábia, Índia, China e Japão. A riqueza de Malaca se mostrou irresistível para os portugueses, que foram os primeiros europeus a ...
Fornecido por
Biblioteca Britânica
O conto de Kiều
Truyện Kiều (O conto de Kiều), escrito por Nguyễn Du (1765 a 1820) é visto como o mais significativo poema da literatura vietnamita. Ele foi composto em Lục-bát (6 a 8) estrofes e seu título original em vietnamita é Ðoạn Trường Tân Thanh (Um novo pranto para o coração partido). No entanto, ele é mais conhecido como Truyện Kiều ou Kim Văn Kiều. A história tem como base um romance chinês Ming do século XVII, que Nguyễn Du conheceu enquanto estava em uma missão diplomática na China, em 1813. O ...
Fornecido por
Biblioteca Britânica
Alcorão
Este Alcorão requintado e iluminado (Or 15227), datado do século XIX, tem sua origem na costa leste da Península Malaia. Com base em várias características codicológicas, o manuscrito pode ser atribuído à zona cultural que vai de Kelantan, na costa nordeste da Malásia, até Patani, no sul da Tailândia. Este Alcorão é típico, de várias maneiras, da produção de manuscritos de Patani, com guardas pretas de fabricação tailandesa, capa de tecido com elaboradas faixas de cabeçalho costuradas e molduras iluminadas com características típicas de Patani, como motivos de ondas entrecruzadas ...
Fornecido por
Biblioteca Britânica
Textos budistas, incluindo a lenda de Phra Malai, com ilustrações dos dez contos sobre o nascimento
A lenda de Phra Malai, um monge budista da tradição Theravada que supostamente obteve poderes sobrenaturais por meio do acúmulo de méritos e da meditação, é o principal texto deste samut khoi (livro dobrável) tailandês do século XIX, mantido nas coleções Tailandesa, Laosiana e Cambojana da Biblioteca Britânica. Phra Malai é tema recorrente da arte, tratados religiosos e rituais associados à vida póstuma tailandeses, e a história é um dos temas mais populares dos manuscritos tailandeses ilustrados do século XIX. O exemplo mais antigo de um manuscrito Phra Malai ainda ...
Fornecido por
Biblioteca Britânica
Carta de Engku Temenggung Seri Maharaja (Daing Ibrahim), Rei de Johor, a Napoleão III, Imperador da França
Esta bela carta real malaia, do regente de Johor, Temenggung Daing Ibrahim, ao Imperador da França, escrita em Singapura no ano de 1857, é um triunfo do estilo sobre a substância. Suas 13 linhas douradas prestam cumprimentos efusivos a Napoleão III, mas apresentam pouco mais do que isto. É difícil saber o que qualquer um dos dois lados poderia obter do envio desta magnífica missiva, já que em meados do século XIX, os interesses franceses no Sudeste Asiático estavam focados primordialmente na Indochina, enquanto a aliança de Johor com os ...
Fornecido por
Biblioteca Britânica
Tratado sobre gatos
Este manuscrito, que contém sofisticadas pinturas de gatos, está no formato de um samut khoi (livro dobrável tailandês), com 12 fólios, sendo abertos no sentido do topo para a parte inferior. Ele foi produzido no século XIX, na região central da Tailândia. Livros dobráveis eram normalmente feitos de casca de amoreira; minerais, líquidos de origem vegetal e, ocasionalmente, materiais importados da China e da Europa eram usados como tinta. Às vezes, o papel era enegrecido com fumo ou laca, a fim de que se tornasse mais forte e mais resistente ...
Fornecido por
Biblioteca Britânica