840 resultados em português
Relatório sobre as diferentes massas de ferro encontradas na Cordilheira Oriental dos Andes
Mariano Eduardo de Rivero y Ustáriz (1798–1857) foi um cientista, geólogo, mineralogista, químico, arqueólogo, político e diplomata peruano. Depois de estudar em Arequipa, ele foi enviado em 1810, aos 12 anos, para Londres para estudar matemática, física e línguas. Em 1817, ele viajou para a École royale des mines de Paris , na França, para estudar mineralogia e química. Na França, conheceu Joseph Louis Proust, Gay-Lussac e Alexander von Humboldt. Este último se tornou seu mentor e, durante o curso de suas viagens na Europa, Rivero descobriu um novo oxalato ...
Fornecido por Universidade EAFIT
Mapa das Pequenas Antilhas
Joan Vinckeboons (1617-1670) foi um cartógrafo e gravador holandês nascido em uma família de artistas de origem flamenga. Ele foi empregado pela Companhia Holandesa das Índias Ocidentais e por mais de 30 anos produziu mapas para utilização pela marinha mercantil e militar holandesa. Ele foi parceiro de negócios de Joan Blaeu, um dos mais importantes editores de mapas e atlas até então. Vinckeboons desenhou uma série de 200 mapas manuscritos que foram usados na produção de atlas, incluindo o Atlas Maior de Blaeu. Este mapa em bico de pena e ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
As ilhas e o continente das Índias Ocidentais
Joan Vinckeboons (1617-1670) foi um cartógrafo e gravador holandês nascido em uma família de artistas de origem flamenga. Ele foi empregado pela Companhia Holandesa das Índias Ocidentais e por mais de 30 anos produziu mapas para utilização pela marinha mercantil e militar holandesa. Ele foi parceiro de negócios de Joan Blaeu, um dos mais importantes editores de mapas e atlas até então. Vinckeboons desenhou uma série de 200 mapas manuscritos que foram usados na produção de atlas, incluindo o Atlas Maior de Blaeu. Este mapa em bico de pena e ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
Mapa da baía de Santiago
Joan Vinckeboons (1617-1670) foi um cartógrafo e gravador holandês nascido em uma família de artistas de origem flamenga. Ele foi empregado pela Companhia Holandesa das Índias Ocidentais e por mais de 30 anos produziu mapas para utilização pela marinha mercantil e militar holandesa. Ele foi parceiro de negócios de Joan Blaeu, um dos mais importantes editores de mapas e atlas até então. Vinckeboons desenhou uma série de 200 mapas manuscritos que foram usados na produção de atlas, incluindo o Atlas Maior de Blaeu. Este mapa em bico de pena e ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
Havana na ilha de Cuba
Joan Vinckeboons (1617-1670) foi um cartógrafo e gravador holandês nascido em uma família de artistas de origem flamenga. Ele foi empregado pela Companhia Holandesa das Índias Ocidentais e por mais de 30 anos produziu mapas para utilização pela marinha mercantil e militar holandesa. Ele foi parceiro de negócios de Joan Blaeu, um dos mais importantes editores de mapas e atlas até então. Vinckeboons desenhou uma série de 200 mapas manuscritos que foram usados na produção de atlas, incluindo o Atlas Maior de Blaeu. Este mapa em bico de pena e ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
Mapa da Costa do Golfo da Flórida até o México
Joan Vinckeboons (1617-1670) foi um cartógrafo e gravador holandês nascido em uma família de artistas de origem flamenga. Ele foi empregado pela Companhia Holandesa das Índias Ocidentais e por mais de 30 anos produziu mapas para utilização pela marinha mercantil e militar holandesa. Ele foi parceiro de negócios de Joan Blaeu, um dos mais importantes editores de mapas e atlas até então. Vinckeboons desenhou uma série de 200 mapas manuscritos que foram usados na produção de atlas, incluindo o Atlas Maior de Blaeu. Este mapa em bico de pena e ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
Mapa da cidade e baía de Cartagena de las Indias
Este mapa em bico de pena e colorido a mão foi desenhado por Antonio de Ulloa (1716-1795) em 1735, com base em um mapa anterior desenhado por Juan de Herrera por volta de 1721. Ele mostra em detalhes a baía de Cartagena de Indias e a área costeira adjacente da atual cidade de Cartagena, Colômbia. Na época, o território fazia parte do Vice-reinado de Nova Granada no Império Espanhol. O mapa é orientado por uma roda dos ventos, com o norte apontando para a esquerda. A longitude foi definida em ...
Vista superior do Castillo del Morro situado na foz da Baía de Havana
Este mapa manuscrito do século XVIII mostra o projeto do Castelo do Morro, localizado na entrada da Baía de Havana, Cuba. A fortaleza foi construída pelos espanhóis, iniciando em 1585. O engenheiro militar italiano Battista Antonelli (1547–1616) foi contratado para projetar as fortificações. Originalmente, a estrutura foi concebida como um pequeno forte cercado por vala seca, mas foi expandida e reconstruída em várias ocasiões e se tornou a principal fortaleza de maior importância estratégica para a ilha. O mapa está orientado com o norte para a esquerda e inclinado ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente chamado de Códice Florentino, o manuscrito chegou às mãos dos Médici antes de 1588 e está agora na Biblioteca Medicea Laurenziana em Florença. Sahagún iniciou suas pesquisas sobre culturas nativas na ...
Região Entre o Rio Amazonas e São Paulo
Este mapa em aquarela e bico-de-pena mostra o curso do Rio Amazonas, incluindo seus afluentes menores e as cidades localizadas ao longo de suas margens. Embora grande parte da área ao longo do Amazonas fosse controlada por povos indígenas durante os primeiros anos do período colonial, os colonizadores fundaram cidades ao longo das margens do rio, a fim de apoiarem o comércio e a exploração do interior do Brasil. A maior destas cidades era Belém, que aparece no mapa.
Fortaleza de Brum em Pernambuco
Este planta baixa do século XIX, feita por um capitão da inspeção de fortalezas do Exército Brasileiro, mostra a fortaleza de Brum, que foi construída pelos holandeses e portugueses no século XVII.
Mapa do Império Brasileiro
Este mapa detalhado do Brasil Imperial foi desenhado por Conrado Jacob Niemeyer (1788-1862) baseado em um mapa anterior de Duarte da Ponte Ribeiro, o Barão de Ponte Ribeiro (1795-1878). Após iniciar sua carreira como médico, Ponte Ribeiro tornou-se um importante diplomata durante os primeiros anos da Independência do Brasil, representando seu país em Portugal, México, Peru, Bolívia e Argentina. Niemeyer foi um engenheiro que ficou mais conhecido pela construção, às próprias custas, de uma das principais estradas que ligam os diversos bairros do Rio de Janeiro; esta estrada hoje leva ...
O Mapa das Terras de Oztoticpac
Datado de aproximadamente 1540, este mapa é um documento Mexicano pitoresco, escrito em Espanhol e Náuatle, refere-se ao processo judicial do estado de Dom Carlos Ometochtli Chichimecatecotl, um senhor asteca e um dos muitos filhos de Nezahualpilli, regente de Texcoco. Dom Carlos foi acusado de heresia e executado publicamente pelas autoridades espanholas em 30 de novembro de 1539. O pleito começou em 31 de dezembro de 1540, quando um homem identificado como Pedro de Vergara pediu à Inquisição que retornasse a ele algumas árvores frutíferas tomadas pela propriedade de Dom ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Introdução, índices e Livro I: Os deuses
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente chamado de Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. Sahagún seguiu a tipologia de trabalhos medievais anteriores, dispondo sua pesquisa em "coisas divinas, humanas e naturais ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro II: As cerimônias
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro II trata das festividades e sacrifícios para os deuses, realizados de acordo com um ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro III: A origem dos deuses
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro III trata da origem dos deuses, especialmente Tezcatlipoca e Quetzalcoatl, e inclui apêndices sobre ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro IV: A arte da adivinhação
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro IV trata da arte da adivinhação, ou astrologia judicial, como praticada pelos astecas e ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro V: Profecias e superstições
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro V trata de profecias, augúrios e superstições. Assim como no Livro IV, sobre adivinhação ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro VI: Retórica e filosofia moral
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro VI trata da retórica e da filosofia moral. Contém textos que Sahagún reuniu por ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro VII: O sol, a lua e as estrelas e a ligação dos anos
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro VII é sobre o sol, a lua e as estrelas. Contém um relato sobre ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro VIII: Reis e senhores
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro VIII trata de reis e nobres, formas de governo, eleições de governantes e os ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro IX: Os comerciantes
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro IX trata de comerciantes, pessoas responsáveis por ouro, pedras preciosas e trabalhos com penas ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro X: O povo, suas virtudes e vícios e outras nações
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro X trata da sociedade asteca e abrange assuntos como as virtudes e vícios do ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro XI: Coisas naturais
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente mencionado como o Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro XI, o mais longo do códice, é um tratado de história natural. Seguindo a ...
História geral das coisas da Nova Espanha de Frei Bernardino de Sahagún: O Códice Florentino. Livro XII: A conquista do México
Historia general de las cosas de nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é um trabalho enciclopédico sobre o povo e a cultura da região central do México compilado por Frei Bernardino de Sahagún (1499–1590), um missionário franciscano que chegou ao México em 1529, oito anos após o término da conquista espanhola por Hernan Cortés. Normalmente chamado de Códice Florentino, o manuscrito consiste de 12 livros dedicados a diferentes tópicos. O Livro XII reconta a conquista espanhola do México, que ocorreu entre 1519, quando Cortés desembarcou na ...
Grupo de artistas de circo
Esta fotografia de dezembro de 1932 mostra os membros de três espetáculos de trapézio de fama mundial posando na rede de segurança do La Scala, em Berlim: The Flying Codonas, do México, The Flying Concellos, dos Estados Unidos, e Les Amadori, da Itália. Mostrados, da esquerda para a direita, estão Genesio Amadori (Les Amadori), Art Concello (The Flying Concellos), Alfredo Codona (The Flying Codonas), Vera (Bruce) Codona (The Flying Codonas), Antoinette Concello (The Flying Concellos), Ginevra Amadori (Les Amadori), Everett White (The Flying Concellos), Lalo Codona (The Flying Codonas) e ...
Mapa em Que os Rios da Argentina, Paraná e Paraguai são Descritos com Maior Exatidão pela Primeira Vez, Quando uma Iniciativa foi Realizada pelo Nova Colônia até a Foz do Rio Jauru
Este atlas da América do Sul colonial é de Miguel Antonio Ciera. Notável matemático e professor de astronomia da Universidade de Coimbra, em Portugal, Ciera fez parte de uma expedição enviada para demarcar a fronteira entre os territórios espanhois e portugueses na América do Sul, após a assinatura do Tratado de Madri, em 1750, e da Guerra dos Guaranis, em 1756. O atlas concentra-se na parte sul do continente, na bacia hidrográfica do rio Paraná, onde as fronteiras eram mais disputadas. O território, no atlas,a atual Argentina e o ...
O Baía de Todos os Santos
Este mapa de Joan Blaeu (1596-1673), um dos mais importantes cartógrafos holandeses, mostra a Baía de Todos os Santos, ao largo da costa do Brasil. A baía foi batizada por Américo Vespúcio que, segundo se acredita, nela adentrou em 1 de novembro, Dia de Todos os Santos, no ano de 1501. A cidade de Salvador está localizada na baía.
Brasil: Classe da Noble, de Amores, e de Cartas...
Este mapa do Brasil é uma obra de Joan Blaeu (1596-1673), um dos cartógrafos Holandeses mais famosos. Blaeu recebeu formação de advogado, mas posteriormente se juntou ao estúdio do seu pai, o cartógrafo Willem Blaeu, em Amsterdam. Junto com seu pai e irmão Cornelis, Joan Blaeu publicou o Atlas Novus (Nova Atlas), uma obra de 11 volumes constituída por 594 mapas. Mais tarde Joan Blaeu tornou-se no cartógrafo oficial da Companhia das Índias Orientais Holandesa.
Nova imagem do Brasil
Este mapa do Brasil é obra de Willem Blaeu (1571-1638), o fundador de uma famosa dinastia de cartógrafos Holandeses. Blaeu estudou astronomia, matemática, e produção de globos com o acadêmico Dinamarquês Tycho Brahe antes de fundar seu estúdio de criação de mapas em Amsterdam. Em 1633, ele foi designado cartógrafo da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais. Em 1635, junto com seus filhos Joan e Cornelis, Blaeu publicou o Atlas Novus (Novo Atlas), uma obra de 11 volumes constituída por 594 mapas.
Paraguai, ou Província do Rio de la Plata, com as Regiões Adjacentes Tucamen e Santa Cruz de la Sierra
Este mapa do Paraguai e da bacia do Rio da Prata é obra de Willem Blaeu (1571-1638), o fundador da famosa dinastia de cartógrafos Holandeses. Blaeu estudou astronomia, matemática, e produção de globos com o acadêmico Dinamarquês Tycho Brahe antes de estabelecer seu estúdio de criação de mapas em Amsterdam. Em 1633, ele foi designado cartógrafo da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais. Em 1635, junto com seus filhos Joan e Cornelis, Blaeu publicou o Atlas Novus (Novo Atlas), uma obra de 11 volumes constituída por 594 mapas.
Guiana, ou, o Reino do Amazonas
Este mapa da Guiana colonial (atualmente o Suriname), é obra de Jan Jannson (falecido em 1664), um cartógrafo holandês que casou com um membro da família Hondius, de cartógrafos ilustres. Jodocus Hondius (1563-1612) e seus filhos, e Jodocus e Henricus, gravou mapas das Américas e da Europa, e foram determinantes na popularização da obra de Gerard Mercator, o criador da Projeção de Mercator, que possibilitou aos navegadores a utilização de um mapa plano refletindo a curvatura do globo. A família Hondius publicou um atlas de bolso primitivo, do mapa Mercator ...
A mais precisa imagem do Brasil.
Este mapa antigo, mostrando o estado da Bahia, no Brasil, é obra de Henricus Hondius (falecido em 1638), membro da famosa família holandesa de cartógrafos.  Seu pai, Jodocus Hondius (1563-1612), adquiriu as chapas para o atlas de Gerard Mercator Atlas em 1604 e, em 1606, publicou uma nova edição desta obra. Henricus e seu cunhado, Jan Jannson (falecido em 1664), publicaram o Novus Atlas (Novo Atlas), em 1637. Os mapas holandeses do século XVI  eram marcados por inserções ilustradas, conforme se observa neste mapa e eram, em geral, o trabalho ...
Imagem Nova e Precisa do Brasil Inteiro / Johann Blaev I.F.
Este mapa do Brasil é trabalho de Joan Blaeu (1596-1673), um dos mais importantes cartógrafos holandeses. Originalmente formado em direito, Blaeu associou-se aos negócios do seu pai, o cartógrafo Willem Blaeu (1571-1638), em Amsterdam. Com seu pai e seu irmão Cornelis (falecido em 1648), Joan Blaeu publicou o Atlas Novus (Nova Atlas), uma obra de 11 volumes constituída por 594 mapas. Mais tarde, Joan Blaeu  tornou-se o cartógrafo oficial da Companhia das índias Orientais Holandesa. Durante o século XVII, a Holanda tornou-se uma grande potência naval e comercial, e seus ...
Isabel, Princesa do Brasil
A Coleção Thereza Christina Maria é composta por 21.742 fotografias, reunidas pelo Imperador Pedro II e por ele doadas à Biblioteca Nacional do Brasil. A coleção abrange uma ampla variedade de temas. Documenta as conquistas do Brasil e do povo brasileiro no século XIX, e também inclui muitas fotografias da Europa, África e da América do Norte. Esta fotografia mostra a Princesa Isabel, filha de Pedro II e, até a abolição da monarquia, em 1889, a herdeira do trono Brasileiro. Foi tirada por Joaquim José Insley Pacheco (1830-1912), um ...
Paranaguá
A linha de Paranaguá a Curitiba da Estrada de Ferro do Paraná, no Brasil, foi construída entre 1880 e 1884. A obra foi dividida em três partes: de Paranaguá a Morretes, de Morretes a Roça Nova, e de Roça Nova a Curitiba. A equipe de construção foi chefiada pelo engenheiro João Teixeira Soares. A construção foi um marco na engenharia brasileira, pois envolvia cruzar a Serra do Mar. Em 1917 um escritor britânico descreveu essa linha: “O ponto mais alto chega a 3.122 pés (952 metros), após uma subida ...
Estrada de Ferro de Paranaguá a Curitiba. Província do Paraná: estação do Porto de D. Pedro II, quilômetro 2200
A linha de Paranaguá a Curitiba da Estrada de Ferro do Paraná, no Brasil, foi construída entre 1880 e 1884. A obra foi dividida em três partes: de Paranaguá a Morretes, de Morretes a Roça Nova, e de Roça Nova a Curitiba. A equipe de construção foi chefiada pelo engenheiro João Teixeira Soares. A construção foi um marco na engenharia brasileira, pois envolvia cruzar a Serra do Mar. Em 1917 um escritor britânico descreveu essa linha: “O ponto mais alto chega a 3.122 pés (952 metros), após uma subida ...
Estrada de Ferro de Paranaguá a Curitiba. Província do Paraná: estação de Alexandra, quilômetro 15
A linha de Paranaguá a Curitiba da Estrada de Ferro do Paraná, no Brasil, foi construída entre 1880 e 1884. A obra foi dividida em três partes: de Paranaguá a Morretes, de Morretes a Roça Nova, e de Roça Nova a Curitiba. A equipe de construção foi chefiada pelo engenheiro João Teixeira Soares. A construção foi um marco na engenharia brasileira, pois envolvia cruzar a Serra do Mar. Em 1917 um escritor britânico descreveu essa linha: “O ponto mais alto chega a 3.122 pés (952 metros), após uma subida ...
Estrada de Ferro de Paranaguá a Curitiba. Província do Paraná: estação de Morretes, quilômetro 40,900
A linha de Paranaguá a Curitiba da Estrada de Ferro do Paraná, no Brasil, foi construída entre 1880 e 1884. A obra foi dividida em três partes: de Paranaguá a Morretes, de Morretes a Roça Nova, e de Roça Nova a Curitiba. A equipe de construção foi chefiada pelo engenheiro João Teixeira Soares. A construção foi um marco na engenharia brasileira, pois envolvia cruzar a Serra do Mar. Em 1917 um escritor britânico descreveu essa linha: “O ponto mais alto chega a 3.122 pés (952 metros), após uma subida ...
Estrada de Ferro de Paranaguá a Curitiba. Província do Paraná: ponte sobre o rio Ribeirão, quilômetro 14,053. Dois vãos de 20 metros
A linha de Paranaguá a Curitiba da Estrada de Ferro do Paraná, no Brasil, foi construída entre 1880 e 1884. A obra foi dividida em três partes: de Paranaguá a Morretes, de Morretes a Roça Nova, e de Roça Nova a Curitiba. A equipe de construção foi chefiada pelo engenheiro João Teixeira Soares. A construção foi um marco na engenharia brasileira, pois envolvia cruzar a Serra do Mar. Em 1917 um escritor britânico descreveu essa linha: “O ponto mais alto chega a 3.122 pés (952 metros), após uma subida ...
Estrada de Ferro de Paranaguá a Curitiba. Província do Paraná: ponte sobre o rio Bom Jardim, quilômetro 48,660. Um vão de 30 metros
A linha de Paranaguá a Curitiba da Estrada de Ferro do Paraná, no Brasil, foi construída entre 1880 e 1884. A obra foi dividida em três partes: de Paranaguá a Morretes, de Morretes a Roça Nova, e de Roça Nova a Curitiba. A equipe de construção foi chefiada pelo engenheiro João Teixeira Soares. A construção foi um marco na engenharia brasileira, pois envolvia cruzar a Serra do Mar. Em 1917 um escritor britânico descreveu essa linha: “O ponto mais alto chega a 3.122 pés (952 metros), após uma subida ...
Estrada de Ferro de Paranaguá a Curitiba. Província do Paraná: aterro da Volta Grande, quilômetro 50
A linha de Paranaguá a Curitiba da Estrada de Ferro do Paraná, no Brasil, foi construída entre 1880 e 1884. A obra foi dividida em três partes: de Paranaguá a Morretes, de Morretes a Roça Nova, e de Roça Nova a Curitiba. A equipe de construção foi chefiada pelo engenheiro João Teixeira Soares. A construção foi um marco na engenharia brasileira, pois envolvia cruzar a Serra do Mar. Em 1917 um escritor britânico descreveu essa linha: “O ponto mais alto chega a 3.122 pés (952 metros), após uma subida ...