189 resultados em português
Um Ator no papel de Sato Norikiyo que se tornou Saigyo: Um ator no papel de Yoshinaka
A arte japonesa de Ukiyo-e ( "Fotos do mundo flutuante [ou triste]") desenvolveu-se na cidade de Edo (hoje Tóquio) durante o Período Edo ou Tokugawa (1600-1868), uma época relativamente pacífica durante a qual os shoguns Tokugawa governaram o Japão e tornaram Edo a base do poder. A tradição Ukiyo-e de pintura e estampa em xilogravura continuou pelo século XX.século XX . Esta gravura díptica do período entre 1849 e 1852 mostra Saigyō cercado por homens que tentam impedí-lo de sair de sua casa para tornar-se sacerdote. O poeta Saigyō (1118-90) nasceu ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
Peônia e Canárias
A arte japonesa de Ukiyo-e ( "Imagens do mundo flutuante [ou triste]") desenvolveu-se na cidade de Edo (atual Tóquio) durante o Período Edo ou Tokugawa (1600-1868), uma época relativamente pacífica durante a qual os shoguns Tokugawa governaram o Japão e fizeram de Edo a base do poder. A tradição Ukiyo-e, de impressão e pintura xilográfica, continuou através do século XX. Esta gravura, produzida em 1833 ou 1834, faz parte da série "Pequenas Flores", de Katsushika Hokusai (1760-1849). É incomum, pela cor de fundo e pelo tamanho. Outros exemplos desta gravura, encontrados ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
Akogi
Noh é uma arte performática clássica japonesa desenvolvida em sua forma atual durante os séculos XIV e XV, sob o patronado do xogunato. Ela se tornou o passatempo preferido das classes dominantes no Japão. O teatro Noh consiste em dança e música. Um utai-bon (livro de letras) era feito para cada canção da peça. O teatro Noh atingiu o auge de sua popularidade no século XVII; muitos utai-bon, ou libretos de Noh, foram publicados naquela época. Mostra-se aqui uma parte de um utai-bon do estilo Kanze-ryū, uma das escolas do ...
Mapas das áreas costeiras do Japão (mapas de Ino)
Inō Tadataka (1745 a 1818) foi um famoso agrimensor e cartógrafo japonês durante o período Edo. Ele é conhecido por ter realizado o primeiro mapa do Japão baseado em medidas reais, que ele próprio criou através de suas viagens pelo país durante vários anos. O Dainihon enkai yochi zenzu (Mapas das áreas costeiras do Japão) foi compilado como uma versão final de muitos mapas de Tadataka e apresentado ao xogunato em 1821. A obra, que abrange quase todo o país, é composta por três conjuntos de mapas de diferentes escalas ...
Mapa do contorno do Japão
Este mapa ilustrativo do Japão foi publicado no final do século XVII. O cartógrafo, Ishikawa Tomonobu (também conhecido como Ryūsen e Ryūshū, cujas datas de nascimento e óbito são desconhecidas), é um artista ukiyo-e e criador de mapas. Acredita-se que ele tenha sido aluno de Hishikawa Moronobu (1618 a 1694), frequentemente considerado o primeiro artista ukiyo-e. Trata-se do primeiro mapa do Japão feito por Ryūsen que contém seu nome impresso. Acredita-se que tenha sido baseado em um original encomendado pelo governo do xogunato. Foi distorcido e ampliado na folha impressa ...
Mapa costeiro do Japão escalonado, províncias orientais (mapas de Ino)
Inō Tadataka (1745 a 1818) foi um famoso agrimensor e cartógrafo do período Edo no Japão. Ele é conhecido por ter realizado o primeiro mapa do Japão com base em medidas reais, que ele próprio criou através de suas viagens pelo país. Em 1800, Inō fez um levantamento da área que vai de Edo (hoje, Tóquio) a Nemuro (hoje em Hokkaidō), na estrada de Ōshū. Ele continuou medindo outras partes do leste do Japão até 1803. Os resultados de seus levantamentos foram compilados em três conjuntos de mapas de diferentes ...
Os contos de Ise
Ise monogatari (Os contos de Ise) é uma coletânea de 125 episódios curtos, que combina elementos de prosa e poesia e data do início do período Heian (séculos IX ao X). Acredita-se que o protagonista tenha sido inspirado em Ariwarano Narihira (825 a 880), um belo aristocrata que teve muitos casos amorosos. Os romances, amizades, o coração partido e a vida errante do protagonista, bem como várias outras histórias, são narrados em um estilo que deve muito aos waka (literalmente, poemas japoneses). A obra teve grande influência na literatura japonesa ...
Álbum de valorização do perfume da primavera
Takuhanga é uma técnica de impressão em que uma bola de algodão coberta por tecido e embebida em tinta preta é batida levemente sobre o papel umedecido colocado sobre um bloco de madeira gravado por entalhe. Esta técnica é derivada do takuhon, a arte do polimento encontrada em cadernos chineses impressos a partir das obras de grandes mestres da caligrafia. Este álbum de takuhanga do final do século XVIII inclui poemas no estilo chinês que celebram o cenário da primavera em Quioto, escritos por homens eruditos da cidade que foram ...
Retrato de Ono Ranzan
Tani Bunchō (1763 a 1840) foi um pintor característico do final do período Edo, que, segundo consta, aperfeiçoou o Edo Nanga, uma escola de pintura japonesa que prosperou nesse período. O objeto de sua pintura, Ono Ranzan (1729 a 1810), foi um especialista renomado na farmacognosia tradicional (estudo dos medicamentos derivados de fontes naturais) da época. Ranzan pediu a Bunchō que pintasse seu retrato um ano antes de sua morte. Primeiramente, Bunchō criou um esboço do perfil direito de Ranzan, que, insatisfeito, insistiu que a corcunda em seu ombro esquerdo ...
Livro de imagens de crisântemos
O crisântemo, que era a flor amada por Tao Yuan-ming (365 a 427), um distinto poeta chinês da dinastia Jin Oriental, foi levado ao Japão por volta do início do período Heian (794 a 1185). A planta se estabeleceu bem em solo japonês e, por volta do período Edo (1600 a 1868), várias centenas de tipos diferentes de crisântemos eram cultivadas no país. O Gakiku é o primeiro livro de imagens de crisântemos publicado no Japão. Suas belas ilustrações e seus poemas em estilo chinês introduziam os leitores a 100 ...
Tsukishima
O Tsukishima é uma balada Kōwaka-mai (drama dançante) que data do período Muromachi (1336 a 1573). Ele também é chamado Hyōgo ou Hyōgo tsukishima. O significado literal de “tsukishima” é “criar uma ilha”, e a balada é baseada em um episódio em que Taira no Kiyomori (1118 a 1181), um general e nobre, construiu um novo porto em Fukuhara, Hyōgo. A história começa com a decisão de Kiyomori de construir o porto. Para garantir o sucesso da construção, 30 pessoas são capturadas a fim de que se façam sacrifícios humanos ...
Ibuki Dōji, o garoto do Monte Ibuki
Esta pintura em rolo de um otogizōshi (conto de fadas japonês da era Muromachi, 1392 a 1573), narra a infância de Shuten Dōji, o oni (demônio) que viria a ser dominado pelo guerreiro da vida real, Minamoto no Yorimitsu. Narra a história do nascimento de Shuten Dōji e de sua infância no Monte Ibuki, na antiga província de Ōmi, protegido por animais selvagens e alimentado por ervas mágicas que impediam o envelhecimento e a morte, até o momento em que passou a viver no Monte Ōe-yama, na antiga província de ...
O livro dos insetos
Ehon mushi-erami (O livro dos insetos) é do pintor ukiyo-e Kitagawa Utamaro (1753 a 1806, aproximadamente). Ele foi criado antes da produção de seu bijin-ga (imagens de belas mulheres), pelo qual é famoso. Cada página dupla do livro contém uma ilustração pintada de uma planta e de duas espécies de insetos, além de dois kyōka (um estilo poético derivado de waka, literalmente, poemas japoneses). Os kyōka são ostensivamente poemas de amor com temática de insetos. No total, 15 xilogravuras coloridas foram incluídas. A obra demonstra a habilidade de Utamaro no ...
Um caderno de desenhos da sakura (flores de cerejeira)
A sakura (flor de cerejeira) é a flor mais famosa do Japão; sua beleza inspirou durante muito tempo os artistas japoneses. Criado em meados do século XIX, Ōka-fu (Um caderno de desenhos de flores de cerejeira) contém os nomes e as ilustrações de 29 variedades de sakura, que foram pintadas sobre seda com pinceladas delicadas. O artista, Sakamoto Kōnen (1800 a 1853), estudou fitoterapia com seu pai, Sakamoto Jun'an, médico regular do senhor soberano do Domínio de Kishū (hoje, prefeitura de Wakayama). Sakamoto Kōnen também trabalhou no Domínio ...
Taishokan
Taishokan é uma história baseada vagamente na vida de Fujiwara no Kamatari (614 a 669), um famoso oficial da corte. Na história, a filha de Kamatari é casada com o imperador da China. Quando ela ouve dizer que seu pai construirá o hall principal do Templo de Kōfuku-ji, em Nara, ela envia a ele, como presente, Mugehōju, um precioso cristal com poderes divinos. Enquanto uma escolta militar viaja ao Japão com o cristal, dragões atacam o navio, e o tesouro é levado até o palácio do rei dos dragões, no ...
Crônica do Japão, volumes 1 e 2
Nihon shoki (Crônica do Japão) é o primeiro livro oficial de história do Japão, editado pelo príncipe imperial Toneri e outros, e concluído no quarto ano da era Yōrō (720). Os 30 volumes abrangem o período desde a idade mitológica até os tempos da Imperatriz Jitō (final do século VII). O primeiro e o segundo volumes, que abordam a era mitológica, gozaram de alta estima no Japão desde os tempos antigos. O manuscrito mais antigo existente do Nihon shoki data do período Heian (794 a 1185). A primeira edição publicada ...
Manual ilustrado de plantas medicinais
Este livro é considerado o primeiro livro completo de arte botânica no Japão. Ele foi publicado no final do período Edo e abrange 92 volumes (os volumes de 1 a 4 permanecem incompletos), incluindo mais de 1900 variedades de plantas. O autor, Iwasaki Kan’en (1786 a 1842), foi um vassalo do xogunato. A obra contém ilustrações coloridas de espécies silvestres, espécies de jardim e de espécies importadas, incluindo legendas do nome taxonômico, explicações biológicas e outras informações. As plantas são classificadas e dispostas de acordo com o Honzō kōmoku ...
O diário de Mansai
Mansai (1378 a 1435) foi um abade do Templo Daigo-ji no início do período Muromachi (séculos XIV a XV). Nascido em uma família aristocrática, Mansai foi adotado pelo xogum Ashikaga Yoshimitsu e ordenado sacerdote. Ele trabalhou para três xoguns, não apenas como padre, mas também como conselheiro político e pessoa próxima. Mansai testemunhou muitos eventos importantes na política, nas relações internacionais, na literatura e na sociedade e tinha acesso privado aos segredos de Estado. Mansai jugō nikki (O diário de Mansai) é, portanto, uma fonte histórica importante. A Biblioteca Nacional ...
Mapa-múndi revisado
Este mapa-múndi foi realizado por Takahashi Kageyasu (1785 a 1829), do Tenmonkata (departamento responsável pela astronomia). Ele iniciou seu trabalho em 1807, sob a ordem do governo do xogunato, com a assistência do astrônomo Hazama Shigetomi e do intérprete holandês Baba Sajūrō, que foi convocado a Edo (hoje, Tóquio) em 1808, enquanto estava em Nagasaki. A região do Leste Asiático foi revisada posteriormente e esta versão do mapa foi gravada por Aōdō Denzen em 1816. O ano da publicação não é fornecido no mapa, mas a data foi confirmada em ...
Sutra de Lótus
A prática de imprimir escrituras budistas no verso das cartas de pessoas falecidas para orar pelo repouso de sua alma se tornou comum a partir do final do período Heian (final do século XII). Os rolos de papel mostrados aqui contêm o texto de um sutra budista chamado Myōhō renge-kyō (Sutra de Lótus). Eles estão impressos no verso das cartas enviadas por Daitō Genchi, o segundo abade do Templo Kakuon-ji, em Kamakura. Acredita-se que a esposa de Hōjō Sadatoki, para quem as cartas são dirigidas, assim como algumas outras pessoas ...
Épico militar sobre a vida de Yoshitsune
O Gikei ki conta uma história ficcional baseada na vida de Minamoto Yoshitsune, um famoso comandante militar do século XII. No livro, o irmão mais velho de Yoshitsune, Minamoto Yoritomo, primeiro xogum da história do Japão, começa a suspeitar da ambição do irmão mais jovem após suas gloriosas vitórias em uma série de batalhas. Por ordem de Yoritomo, Yoshitsune é expulso de Quioto, perseguido e, finalmente, forçado a cometer suicídio. A história trágica de Yoshitsune é popular no Japão há muito tempo, tendo sido frequentemente descrita em romances e dramas ...
História da lua e do sol
A Tsukimitsu no sōshi (História da lua e do sol) é um dos otogizōshi, contos de fadas japoneses do período Muromachi (1336 a 1573). Na história, Hō’ō e Sansō, filhos de um homem muito rico em Magada-koku, Tenjiku (um nome antigo para a Índia), foram exilados na Ilha de Shiomizu por sua madrasta. Sua mãe biológica falecida transforma-se em uma grande ave do paraíso a fim de protegê-los e criá-los. Os garotos são finalmente resgatados por seu pai e, ao crescer, tornam-se tsuki (a lua) e hi (o sol ...
Uma coleção de pinturas japonesas
Este livro de imagens é de Hishikawa Moronobu (falecido em 1694), um artista representativo dos primeiros tempos da arte ukiyo-e. Ele consiste em 20 imagens que representam cenas populares da literatura japonesa clássica, incluindo Ise monogatari (Os contos de Ise), Genji monogatari (O conto de Genji) e yōkyoku (cantos de peças Noh). Moronobu foi o primeiro artista a colocar sua assinatura em livros impressos. No colófon desta obra, ele se identifica como Yamato-e-shi (artista de pinturas clássicas japonesas), mostrando assim sua confiança profissional em si mesmo enquanto artista. A Biblioteca ...
As pontes de Sanmai-bashi em Ueno
Esta impressão nishiki-e (técnica japonesa de xilogravura multi-colorida, usada principalmente no ukiyo-e) retrata belas mulheres que passam pelas Pontes de Sanmai-bashi (“três pontes lado a lado”), em Ueno-hirokōji, Edo (hoje, Tóquio). Cerejeiras das florestas ao redor do Templo de Kan’ei-ji podem ser vistas à distância. O Templo de Kan’ei-ji era conhecido como a melhor vista para as flores de cerejeira da cidade de Edo e, ainda hoje, muitas pessoas o visitam durante a temporada das flores de cerejeira. No primeiro plano, há três pontes lado a lado. As ...
Beldades de Yoshiwara
Seirō Bijin Awase (Beldades de Yoshiwara) é um dos mais sofisticados livros em xilogravura multicoloridos do Japão. Ele foi publicado em 1770. O livro representa 166 cortesãs de Yoshiwara, um bairro do meretrício em Edo (atual Tóquio), com os nomes das cortesãs e os bordéis em que trabalhavam, acompanhados de um haiku (poema curto) no plano de fundo de cada ilustração. A obra consiste em cinco seções, divididas em cinco capítulos. A tira de papel original onde os títulos do livro e do volume estão impressos está presa na parte ...
Mapa geral do mundo
O primeiro mapa-múndi publicado no Japão é de 1645. Exibe-se aqui uma versão popular deste primeiro mapa, publicada em 1671. Ela está dividida em duas partes: o lado direito contém um mapa-múndi oblongo com o leste no topo, enquanto o lado esquerdo representa povos de 40 países em trajes nacionais. Esta segunda parte está dividida em cinco filas de oito países, representando povos tanto de países existentes, como Portugal e Holanda, quanto de países imaginários, como “País dos Anões” e “País dos Gigantes”. Acredita-se que estes mapas sejam baseados em ...
Irã e Afeganistão
Publicado em 1941, durante o início da Segunda Guerra Mundial, este mapa japonês do Irã e do Afeganistão tem como base um mapa divulgado no ano anterior pela Administração Principal de Geodésia e Cartografia da União Soviética. Diferentemente dos britânicos e dos russos, os japoneses não tinham experiência local ou conhecimentos abrangentes sobre essa parte da Ásia; dessa forma, isso virou um interesse estratégico importante para eles durante a guerra. As potências do Eixo — Alemanha, Japão e Itália — acreditavam que, em última instância, a vitória exigiria que obtivessem controle sobre ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
Dia das Garotas
A arte japonesa de Ukiyo-e ( "Fotos do mundo flutuante [ou triste]") desenvolveu-se na cidade de Edo (hoje Tóquio) durante o Período Edo ou Tokugawa (1600-1868), uma época relativamente pacífica durante a qual os shoguns Tokugawa governaram o Japão e tornaram Edo a base do poder. A tradição Ukiyo-e de pintura e estampa em xilogravura continuou pelo século XX.século XX . Esta gravura é uma página de um livro ilustrado do período entre 1716 e 1736. Ela mostra três moças ou mulheres elegantemente vestidas comendo e bebendo, provavelmente comemorando Hina Matsuri ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
Mapa completo das montanhas e dos oceanos do mundo
Sankai yochi zenzu (Mapa completo das montanhas e dos oceanos do mundo) é um mapa do mundo japonês, criado por volta de 1785 por Sekisui Nagakubo (de 1717 a 1801). O mapa se baseia na edição chinesa de 1602 do Grande mapa geográfico universal de Matteo Ricci, produzido pela primeira vez em 1584. É uma impressão xilográfica colorida à mão que mostra os continentes e os mares do mundo e contém relevos ilustrados. Um título alternativo, Chikyū bankoku sankai yochi zenzusetsu (Ilustração completa do mundo, de todos os países, montanhas ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
Dharma, O Garoto Prodígio
Esta obra do início do século XVIII, de um artista desconhecido, é um exemplo típico de Nara-ehon, manuscritos ilustrados ou pergaminhos e livros impressos a mão produzidos no Japão do período Muromachi (1333-1573) até meados do período Edo (1615-1868). O Hōmyō dōji é, originalmente, uma história do Leste da índia com raízes no budismo. Como muitas destas histórias, começa com a frase típica, "Era uma vez, na terra de Buda..." Continua, contando a história de uma criança que foi escolhida para ser sacrificada para uma cobra gigante. O pai da ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
O Conto de Genji: Comentário sobre Frases e palavras-chave, Volumes 55-57
Genji monogatari (Lenda de Genji) é, frequentemente, considerado o primeiro grande romance da literatura mundial. A autora desta obra, Murasaki Shibuku, nasceu em torno de 978 e passou a maior parte da sua vida na, ou perto da, corte imperial em Kyoto. Após um breve casamento com um homem mais velho, ela ficou a serviço da Imperatriz Akiko (ou Shōshi), por volta de 1005, como dama-de-companhia. O romance é composto por 54 livros ou capítulos que relatam a vida e os amores do príncipe Genji, o jovem, bonito e talentoso ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
O Conto de Genji: Genealogia, Volume 58
Genji monogatari (Lenda de Genji) é, frequentemente, considerado o primeiro grande romance da literatura mundial. A autora desta obra, Murasaki Shibuku, nasceu em torno de 978 e passou a maior parte da sua vida na, ou perto da, corte imperial em Kyoto. Após um breve casamento com um homem mais velho, ela ficou a serviço da Imperatriz Akiko (ou Shōshi), por volta de 1005, como dama-de-companhia. O romance é composto por 54 livros ou capítulos que relatam a vida e os amores do príncipe Genji, o jovem, bonito e talentoso ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
O Conto de Genji: Uma Continuação, Volume 59
Genji monogatari (Lenda de Genji) é, frequentemente, considerado o primeiro grande romance da literatura mundial. A autora desta obra, Murasaki Shibuku, nasceu em torno de 978 e passou a maior parte da sua vida na, ou perto da, corte imperial em Kyoto. Após um breve casamento com um homem mais velho, ela ficou a serviço da Imperatriz Akiko (ou Shōshi), por volta de 1005, como dama-de-companhia. O romance é composto por 54 livros ou capítulos que relatam a vida e os amores do príncipe Genji, o jovem, bonito e talentoso ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
O Conto de Genji: Índice, Volume 60
Genji monogatari (Lenda de Genji) é, frequentemente, considerado o primeiro grande romance da literatura mundial. A autora desta obra, Murasaki Shibuku, nasceu em torno de 978 e passou a maior parte da sua vida na, ou perto da, corte imperial em Kyoto. Após um breve casamento com um homem mais velho, ela ficou a serviço da Imperatriz Akiko (ou Shōshi), por volta de 1005, como dama-de-companhia. O romance é composto por 54 livros ou capítulos que relatam a vida e os amores do príncipe Genji, o jovem, bonito e talentoso ...
Fornecido por Biblioteca do Congresso
Vista do Gabinete do Governador-Geral de Taiwan
Sob o regime japonês, entre 1895 e 1945, a principal autoridade de Taiwan era o governador-geral, um funcionário nomeado por, e enviado de Tóquio. O governador-geral exercia os supremos poderes executivo, legislativo e judiciário. Esta fotografia de 1920 mostra o gabinete do governador-geral, que inclui agências de assuntos militares e internos. A construção deste edifício, feita por trabalhadores importados do Japão, começou em 1912 e foi concluída em 1919.
A Constituição do Japão (Os Boletins Oficiais, uma Edição Especial)
Esta publicação é uma edição extra da Official Gazette (Diário Oficial) na qual foi promulgada a Constituição do Japão. Foi preservada nos arquivos de Irie Toshio (1901-72), diretor-geral da Câmara de Legislação, no âmbito do primeiro gabinete Yoshida Shigeru, entre 1946-47. O projeto revisado da Constituição Imperial foi aprovado pela Câmara dos Deputados japonesa, em 7 de outubro de 1946. A Constituição foi promulgada em 3 de novembro. Na página de capa da Gazette (Diário) podem-se ver os autógrafos do Primeiro-Ministro Yoshida Shigeru (1878-1967), do Ministro de Estado Encarregado da ...
Uma Vista do Santuário de Mimeguri do Rio Sumida
Esta obra de Shiba Kokan (1747-1818), um famoso pintor de estilo ocidental, do final do período Edo (1600-1867), é a primeira gravura em água-forte em placa de cobre feita por um artista japonês. Ela retrata a paisagem do Santuário de Mimeguri, em Mukōjima, Edo Oriental (atual Tóquio), como era vista da margem do rio Sumida. Como a gravação em água-forte foi feita para uma caixa de show de slides, os lados esquerdo e direito estão invertidos. Kokan estava interessava-se pela ciência ocidental e escreveu obras sobre astronomia e geografia. Nesta ...
100 Poemas por 100 Poetas
Este livro ilustrado do Ogura hyakunin isshu (Cem poetas, cem poemas) é uma coleção de cem poemas clássicos japoneses de 31 sílabas (waka), cada um de um poeta diferente. A coleção está organizada cronologicamente, do Imperador Tenji (626-671) até o Imperador Juntoku (1197-1242). Cada um dos poetas é representado por uma xilogravura impressa criada por Hishikawa Moronobu (1618-circa 1694). Morobonu é, muitas vezes, considerado o primeiro artista Ukiyo-e.
O conto de Genji
Este livro é uma antiga edição de tipo móvel de um dos trabalhos clássicos mais conhecidos na literatura japonesa. Acredita-se que esta seja a primeira versão impressa do Genji monogatari (O conto de Genji) e possui 54 volumes produzidos na era Keichō (1596–1615). Este é o mais antigo dos livros no qual os tipos hiragana foram usados, e existem apenas duas outras cópias escritas. Hiragana é um escrita cursiva do alfabeto japonês. Um dos mais antigos romances no mundo, Genji monogatari foi escrito no início do século XI por ...
Yoshitsune Indo para a Província de Oshu
Este rolo com imagens ilustra a história de Minamoto Yoshitsune (1159-89), um comandante militar do final do séculoXII e seu lendário assistente Benkei (?-1189). O irmão mais velho de Yoshitsune, Minamoto Yoritomo (1147-99), começou a suspeitar da ambição do irmão mais novo, depois que Yoshitsune alcançou uma série de êxitos militares. Yorimoto mandou expulsar Yoshitsune de Kyoto. Yoshitsune buscou a proteção da família Fujiwara, em Hiraizume, província de Oshū, mas no final, foi perseguido até a morte e forçado a cometer suicídio por seu poderoso irmão . A trágica história de ...
Diversões para Doze Meses
Este rolo com imagens coloridas, desenhadas à mão, apresenta eventos anuais e peças teatrais sazonais em Kyoto, mês a mês. Este desenho, em particular, representa crianças segurando vassouras e participando de um jogo com bola chamado gicchō em uma rua em Kyoto. O estilo de caligrafia e o trabalho com o pincel sugere que o rolo foi produzido no início do período Edo (1600-1867). A Biblioteca Chester Beatty, em Dublin, na Irlanda, tem o mesmo tipo de rolo com imagens.
Batalha Standards
Neste rolo estão representados uma-jirushi - estandartes de batalha, agrupados ao lado do cavalo de um comandante militar para mostrar sua posição - de 170 soldados. As ilustrações estão impressas em cores e, também, pintadas à mão. Este rolo é importante por marcar a origem da impressão de xilogravura multicolorida (nishiki-e) no Japão. O sexto volume desta obra, que foi encontrado apenas recentemente, é o único rolo cuja existência se coonhece.