Filtrar Resultados:

Lugar

Período

Tópico

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Idioma

Instituição

623 resultados
O primeiro impressor de livros na Rússia, 1583
Este livro, publicado em Kiev em 1895, é uma pequena biografia de Ivan Fyodorov (aproximadamente 1510–1583), criada para o público em geral. Juntamente com Schweipolt Fiol e Francysk Skaryna, Fyodorov foi um dos criadores da tipografia na região eslava oriental. Graduado pela Universidade Jaguelônica de Cracóvia, na Polônia, mais tarde trabalhou em Moscou, onde publicou obras litúrgicas usando tipos móveis, os primeiros livros impressos na Rússia. Ele foi expulso de Moscou por escribas que temiam a concorrência em função de sua inovação e procurou refúgio no Grão-Ducado da Lituânia ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Parlamento da Ucrânia
O batistério da Catedral de Santa Sofia em Kiev
Este livro fala sobre o batistério da Catedral de Santa Sofia em Kiev. O nome da catedral não provém de um santo em particular, mas sim da Hagia Sofia do século VI em Constantinopla (atual Istambul) e significa “Sagrada sabedoria”. Concebida como “a nova Constantinopla” para representar o cristianismo oriental, a Santa Sofia de Kiev foi construída no século XI. O batistério foi construído no claustro alguns anos mais tarde e suas paredes ainda exibem os afrescos dos séculos XI a XII. No início do século XX, o batistério se ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Parlamento da Ucrânia
Uma coleção do Museu Arqueológico, usada nas aulas dos cursos avançados para mulheres em Kiev
Este livro contém um ensaio longo e oito ilustrações de roupas e acessórios decorativos usados por mulheres na Rússia antiga. As informações têm como base as escavações arqueológicas em kurgans ou túmulos, que continham objetos domésticos dos eslavos antigos. Os objetos retratados são do Museu Arqueológico em Kiev. Conforme indicado no título, o livro era usado no ensino dos cursos para mulheres em Kiev. Cursos avançados para mulheres foram abertos em Kiev e em várias outras cidades ucranianas em 1878, como parte de um movimento mais amplo no país para ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Parlamento da Ucrânia
Fortaleza de Brum em Pernambuco
Este planta baixa do século XIX, feita por um capitão da inspeção de fortalezas do Exército Brasileiro, mostra a fortaleza de Brum, que foi construída pelos holandeses e portugueses no século XVII.
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Brasil
Fortaleza de Dio: Planos de Praças e Fortes de Territórios Portugueses na Ásia e na África
Estes desenhos mostram a fortalez de Diu, localizada numa ilha ao largo da costa noroeste da Índia. Em 1509, os Portugueses derrotaram as forças do Sultão de Gujarat na Batalha de Diu, garantindo assim uma posição dominante nas rotas comerciais do Oceano Índico. Construção deste complexo composto por guarnição-fortaleza começou em 1535, sob um acordo com o sultão, mas o acordo não prosperou e as tropas do sultão atacaram o forte em 1537. A fortaleza foi reconstruída em 1545 por João de Castro (1500-48), um comandante naval Português e o ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Brasil
Fortaleza de Chaul: Planos de Praças e Fortes de Territórios Portugueses na Ásia e na África
Este desenho mostra a fortaleza de Chaul, um dos complexos de defesa de Portugal ao longo da costa ocidental da Índia. Os Portugueses primeiro se estabeleceram em Chaul em 1521 e construiram um forte, que foi reconstruído diversas vezes. A estrutura mostrada neste desenho é mais provavelmente aquela construída em 1613, que apresentava obras expandidas de defesa.
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Brasil
O tesouro de Khvarazm’Shah
Ismā‘īl ibn Ḥasan Jurjānī (entre 1042 e 1136, aproximadamente, também citado como Jorjānī e Gurjānī), conhecido popularmente como Hakim Jurjānī, foi um dos mais famosos médicos do Irã do século XII. No período entre a conquista islâmica e o tempo de Jurjānī, quase todos os livros científicos de iranianos eram escritos em árabe, incluindo obras famosas como al-Qānūn fī al-tibb (O cânone da medicina) escrito por Ibn Sina (Avicena). A enciclopédia médica de Jurjānī, Zakhīrah-i Khvārazm’Shāhī (O tesouro de Khvarazm’Shah) foi o primeiro grande livro de medicina ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional e Arquivos da República Islâmica do Irã
A arte de fazer relógios mecânicos para torres de igreja, para salas e de bolso
Manuel del Río era um franciscano espanhol, que diziam ter sido um habilidoso relojoeiro, que provavelmente aprendeu a profissão em Porto, Portugal, com Tomás Luis de Sáa. Del Río fazia parte da comunidade franciscana em Santiago, onde, em 1759 publicou Arte de los reloxes de ruedas (A arte de fazer relógios mecânicos). A obra foi reeditada em 1789 em Madri por Ramón Durán, discípulo de del Río. Essa edição é apresentada aqui. O prólogo afirma que um dos motivos para escrever o livro era a falta de manuais sobre o ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional da Espanha
História da composição do corpo humano
Juan Valverde era um anatomista médico espanhol nascido em Amusco, na atual província de Palência, por volta de 1525. Ele se mudou para a Itália por volta de 1542, e depois praticou a medicina e ensinou em Roma. Ele foi o grande seguidor espanhol da nova anatomia estabelecida por Andreas Vesalius em 1543 com sua obra De humani corporis fabrica (Da Organização do Corpo Humano). Vesalius foi responsável por uma nova visão do corpo humano no mundo moderno. Valverde ajudou a disseminar esta visão pelas 16 edições em quatro idiomas ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional da Espanha
Tratado sobre as fortificações de campo
Giovan Battista Belluzzi (1506-1554) nasceu em San Marino e serviu como engenheiro-chefe militar a Cosmo I de Médici (1519–1574), duque de Florença. Este manuscrito, o qual acredita-se ter sido escrito pelo próprio Belluzzi, foi escrito para Stefano IV Colonna, um general florentino também a serviço da família Médici. O manuscrito contém instruções sobre a construção de fortificações militares em áreas remotas, usando apenas recursos locais como terra e madeira como elementos estruturais. O texto inclui um discurso sobre como avaliar as condições do solo, tratar o solo para usá-lo ...
Fornecido por
Biblioteca Riccardiana de Florença
A Enciclopédia dos Medicamentos
Este livro é uma edição impressa de Pandectarum Medicinae (Enciclopédia dos Medicamentos) de Matthaeus Sylvaticus (falecido em torno de 1342), e consiste em uma lista de medicamentos (principalmente de origem herbal) em ordem alfabética. Sylvaticus se baseia no trabalho de Simão de Gênova (prosperou no final do século XIII), que forneceu um léxico de termos médicos em latim, grego e árabe em seu dicionário Clavis Sanationis. Sylvaticus também se baseia em obras de autoridades greco-romanas, como Galeno, Dioscorides e Paulus Aegineta (século VII). Dentre suas outras fontes figuram os escritos ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar
"Ensaio Científico sobre a Necessidade de Remédios Compostos" do Cânone de Medicina
Abū Alī al-Ḥusayn Ibn Sīnā (980–1037) foi um dos luminares intelectuais do mundo medieval. Conhecido no ocidente latino como Avicena, este polímata persa foi chamado frequentemente de al-Shaykh al-Ra'īs pelos autores muçulmanos, reconhecendo seu papel como um dos principais sábios do mundo islâmico. Autor prolífico, Ibn Sīnā escreveu sobre tópicos bem diversos como metafísica, teologia, medicina, psicologia, geociências, física, astronomia, astrologia e química. Sua fama na Europa reside principalmente sobre seu Cânone de Medicina, que foi traduzido para o latim e permaneceu, durante séculos, parte do currículo padrão ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar
O livro dos cavalos
Esta obra é uma cópia manuscrita sem data do Faras-nāma (O livro dos cavalos) de ʻAbd Allāh Khān Bahādur Fīrūz. Aparentemente foi escrito durante o reinado do Xá Jahan (que reinou em 1628–1658) e é baseado parcialmente no Shalihotra, escrito em sânscrito em versos com 16.000 shloka (dísticos), datando de 2500–1500 a.C. Dentre os tópicos tratados estão a cor do pelo de um cavalo e seu significado (capítulo 2), a crina do cavalo (capítulo 3), sinais que indicam a agilidade de um cavalo no campo ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar
O método da medicina
Este livro é um compêndio de obras médicas, impresso na Basileia em 1541 pelo estabelecimento de Heinrich Petri (1508 a 1579), também conhecido pelo nome latinizado Henricus Petrus. Ele inclui uma tradução para o latim do trigésimo capítulo do célebre al-Taṣrīf li man ‘ajiza al-ta’līf (A organização do [conhecimento médico] para aqueles que não estão aptos a compilar [um manual por conta própria]) pelo importante médico andaluz Abū al-Qāsim ibn al-‘Abbās al-Zahrawī. O livro também contém uma obra de quatro páginas sobre o tratamento de feridas e ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar
Comentário sobre o capítulo nono do livro de medicina dedicado a Mansur
Esta obra é um comentário em latim do professor e médico italiano Giovanni Arcolani (falecido em 1484, também conhecido como Ioannis Arculani) sobre o nono livro do Kitāb al-ṭibb al-Manṣūrī (O livro da medicina dedicado a Mansur) do renomado polímata persa Abū Bakr Muḥammad ibn Zakarīyā Rāzī (entre 865 e 925, aproximadamente). Conhecido no Ocidente latino como Rhazes ou Rasis, Rāzī nasceu em Rayy, ao sul de Teerã. Ele é geralmente considerado uma das figuras fundamentais da medicina no período medieval. Sua influência sobre o desenvolvimento da ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar
Compêndio de obras de medicina de Avenzoar e Averróis
Este trabalho é um compêndio de traduções latinas de várias obras de dois renomados autores andaluzes do século XII: ʻAbd al-Malik ibn Abī al-ʻAlāʾ Ibn Zuhr (falecido em 1162), conhecido no Ocidente latino como Avenzoar; e Abu ’l-Walīd Muḥammad ibn Aḥmad ibn Muḥammad ibn Rushd, o celebrado Averróis (1126 a 1198) do Ocidente latino. O conhecido tratado médico de Ibn Zuhr, Taysīr fi ’l-mudāwāt wa ’l-tadbīr (Manual prático de tratamentos e dietas), é apresentado aqui, bem como a maior obra médica de Ibn Rushd, al-Kulliyāt fī al-ṭibb (Os princípios gerais ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar
Compêndio de textos médicos de Mesué, com escritos adicionais de vários autores
O renomado médico persa nestoriano Yūḥannā Ibn Māsawayh (entre 777 e 857, aproximadamente), conhecido no Ocidente latino como Mesué, nasceu em Samarra, atual Iraque. De acordo com al-Qiftī, pai de Yūḥannā, foi solicitado a Abu Yūḥannā Māsawayh, médico do famoso centro de saúde de Jundīshāpūr (no sudoeste da Pérsia, próximo da atual Dezful), que criasse um hospital em Bagdá durante o reinado do Califa Hārūn al-Rashīd (reinou entre 786 e 809). Ibn Māsawayh continuou o trabalho de seu pai em Bagdá, ensinando medicina, escrevendo obras médicas e tratando pacientes. Ibn ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar
A luminária maior
Este volume contém Luminare Maius (A luminária maior) e um antidotarium (livro de antídotos), de Joannes Jacobus de Manliis (1490). Ele é baseado nas obras do médico persa nestoriano Yūḥannā Ibn Māsawayh (entre 777 e 857, aproximadamente), conhecido no Ocidente latino como Mesué, e de “outros médicos distintos.” Também está incluída uma edição do Pandectarum Medicinae (Enciclopédia dos medicamentos), de Matteo Silvatico (também conhecido por seu nome latinizado, Mattheus Sylvaticus, entre 1280 e 1342, aproximadamente), que consiste em uma lista alfabética de medicamentos, de origem principalmente herbal. Sylvaticus se baseia ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar
Os sete livros sobre o método terapêutico, a arte da cura, de João de Damasco (Decápolis), a maior autoridade médica entre os árabes
Yúhānnā Ibn Serapion foi um físico nestoriano do século nono conhecido no Ocidente como Serapion. Ele escreveu dois compêndios médicos (al-kunnāsh, em árabe) em sua língua nativa, o siríaco; o primeiro em sete seções (al-kunnāsh al-ṣaghīr) e o segundo em 12 seções (al-kunnāsh al-kabīr). O maior dos dois compêndios está preservado em Istambul como MS Ayasofya 3716. A obra mais curta foi traduzida para o árabe pelo secretário Mūsā b. Ibrāhīm al-Ḥadīthī, em prol do médico Abu ’l-Ḥasan b. Nafīs. Al-kunnāsh al-ṣaghīr foi traduzido para o latim por ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar
Comentário à primeira parte do “Cânone da medicina” de Avicena e o “Capítulo sobre os membros”, de Giano Matteo Durastante
Este volume contém um comentário em latim à primeira parte do Al-Qānūn fī al-ṭibb (O cânone da medicina), de Avicena, feito pelo médico e filósofo italiano Giovanni Battista da Mónte (também conhecido como Montano, 1498 a 1551), publicado em Veneza em 1557. Montano nasceu em Verona. Após trabalhar primeiramente em Brescia, ele ensinou medicina na Universidade de Pádua. Ele traduziu várias obras do grego para o latim e escreveu numerosos comentários sobre tratados de Hipócrates, Galeno e Avicena, a maioria dos quais foi publicada postumamente por seus ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar
Os quatro livros sobre a medicina de Octavius Horatianus e os três livros de Abū Al-Qāsim, distinto entre todos os cirurgiões
Este volume impresso no estabelecimento Argentorati, em Estrasburgo (atualmente na França), em fevereiro de 1532, inclui duas obras, a primeira é a tradução latina de Theodorus Priscianus (prosperou aproximadamente em 400) e de seu próprio compêndio terapêutico, o Euporista (Remédios facilmente obtidos), originalmente escrito em grego. A segunda obra é uma tradução latina de uma seção do conhecido trabalho médico árabe de Abu al-Qasim Khalaf ibn al-Abbas al-Zahrawi (também conhecido por seu nome latinizado, Albucasis, entre 936 e 1013, aproximadamente), Al-Taṣrīf li man ‘ajiza al-ta’līf (A obtenção de ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional do Catar