Filtrar Resultados:

Lugar

Período

Tópico

Outras Palavras-Chave

Tipo de Item

Idioma

Instituição

146 resultados
Brochura dos dois navios da White Star Line: "Olympic" e "Titanic"
Essa brochura em dinamarquês, publicada em Copenhague em 1911 ou 1912, apresenta dois navios da empresa inglesa White Star Line, o Olympic e o Titanic. Inclusos estão fatos sobre a linha e sua frota, informações sobre passagens, horários e classes de serviço e ilustrações das salas de jantar, bibliotecas, cabines e convés. A brochura lista ainda as comodidades disponíveis a passageiros da segunda e terceira classe e apresenta os cardápios para café da manhã, almoço e jantar oferecidos em cada um dos sete dias de viagem pelo Atlântico. A publicação ...
Fornecido por
Biblioteca Real da Dinamarca
Os verdadeiros registros do imperador Taizong da dinastia Song
Os funcionários da corte chinesa frequentemente registravam as atividades diárias e as palavras faladas por um imperador reinante na corte, especialmente aquelas que afetavam o país. Estes registros, como o Qi ju zhu (Diário da atividade e do repouso) e o Ri li (Registros diários), foram as fontes usadas por um comitê para a compilação dos shi lu (registros verdadeiros). Outras fontes consistiam em materiais coletados nas províncias, papéis ministeriais e outros documentos. As histórias oficiais foram escritas com base nestes registros verdadeiros. Já não existem mais registros como estes ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional Central
Cópia resumida do mapa geográfico da corte interna da dinastia Qing
Esta obra é de Liu Yan, também chamado de Dezhi, um estudioso de história, geografia e astronomia de meados e do fim da dinastia Qing. Liu Yan produziu e contribuiu com várias obras no campo da geografia, incluindo Ji yuan bian (Dicionário de nomes de reinados), Li dai di li yan ge tu (Um atlas histórico e geográfico das dinastias) e Li dai di li zhi yun bian jin shi (Dicionário de nomes geográficos com novas explicações). Embora a maioria de suas obras tenha aparecido sob o nome de seu ...
Fornecido por
Biblioteca Nacional Central
Carta de Alfred Nobel a Bertha von Suttner, criando o Prêmio Nobel da Paz
Alfred Nobel (1833 a 1896) foi um engenheiro e empresário de origem sueca conhecido por ter inventado a dinamite. Com 43 anos, Nobel colocou um anúncio em um jornal dizendo: “Homem de idade rico e de excelente educação busca senhora de idade madura, versada em línguas, para secretária e supervisora doméstica”. Uma mulher austríaca, a Condessa Bertha Kinsky, candidatou-se e ganhou o cargo. A condessa trabalhou para Nobel por um curto período, antes de retornar à Áustria e se casar com o Conde Arthur von Suttner. Bertha von Suttner tornou-se ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
No Congresso Universal da Paz, em Estocolmo
Os Congressos Universais da Paz foram encontros internacionais que visavam promover a paz e ocorreram em diferentes capitais europeias no final do século XIX e início do século XX. Os congressos estabeleceram o pacifismo liberal como um sistema distinto de pensamento na política europeia e como uma força relevante nas relações internacionais ao longo das décadas seguintes. Grupos pacifistas religiosos, organizações trabalhistas, autoridades governamentais, autores e outras figuras notáveis participaram de tais congressos, cuja participação foi crescente até a Primeira Guerra Mundial, quando foram interrompidos devido a conflitos de fidelidade ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Sir Eric Drummond
Sir Eric Drummond (1876 a 1951) foi o primeiro secretário-geral da Liga das Nações. Após formar-se na faculdade de Eton, Drummond entrou para o Ministério das Relações Exteriores britânico em 1900. Ele ascendeu até se tornar o secretário privado do Secretário de Assuntos Exteriores Sir Edward Grey, entre 1915 e 1916, e continuou a ocupar o cargo quando Grey foi substituído por Arthur Balfour, entre 1916 e 1918. Como membro da delegação britânica para a Conferência da Paz em Paris, de 1919, ele se envolveu na elaboração do Pacto da ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Joseph Avenol
Joseph Avenol (1879 a 1952) foi um diplomata francês que ocupou o cargo de secretário-geral da Liga das Nações nos anos anteriores à Segunda Guerra Mundial. Após uma carreira no Ministério de Finanças da França, em 1923, ele foi designado secretário-geral adjunto da Liga, sendo responsável especificamente pela coordenação da reconstrução financeira pós-Primeira Guerra Mundial. No dia 1º de julho de 1933, ele sucedeu ao diplomata britânico anterior, Sir Eric Drummond (1876 a 1951), que havia se tornado secretário-geral da Liga desde sua criação, em 1919. Avenol assumiu o cargo ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Sean Lester
Sean Lester (1888 a 1959) foi um jornalista e funcionário do governo irlandês que ocupou cargos importantes na Liga das Nações. Embora fosse um protestante que se formou na faculdade Metodista de Belfast, ele apoiou a independência irlandesa e foi membro do Sinn Fein. Após o estabelecimento do Estado Livre da Irlanda, em 1922, ele se juntou ao ministério das relações exteriores do país em 1929, tornando-se o primeiro representante da Irlanda nas Nações Unidas. Ele presidiu comitês que tentavam resolver disputas territoriais entre o Peru e a Colômbia e ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Sob os auspícios da Liga, plebiscito sobre o Sarre
Após a Primeira Guerra Mundial, o Tratado de Versalhes estabeleceu os territórios da bacia do Sarre, anteriormente parte da Alemanha, sob a administração da Liga das Nações por um período de 15 anos. Como compensação pela destruição, por parte da Alemanha, das minas de carvão no norte da França, e como parte dos ressarcimentos que a Alemanha deveria pagar pela guerra, a França obteve controle das minas de carvão do Sarre neste período. A administração do território foi concedida a uma Comissão administrativa que consistia de cinco membros escolhidos pelo ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Resumo da petição dos trabalhadores ferroviários de origem húngara e da proteção das minorias na Tchecoslováquia
Após a Primeira Guerra Mundial, os Estados da Europa central e oriental foram forçados pelos Aliados vitoriosos e por potências associadas a assinar acordos que garantiam a igualdade religiosa, social e política das populações minoritárias. Os Estados abrangidos eram Áustria, Bulgária, Tchecoslováquia, Grécia, Hungria, Polônia, Romênia e Iugoslávia. Grupos ou indivíduos que acreditavam ter sido discriminados por razões étnicas ou linguísticas poderiam realizar uma petição na Liga das Nações pela reparação do Conselho. A Seção de Minorias dentro do Secretariado da Liga foi responsável por avaliar as petições que chegavam ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Petição dos trabalhadores ferroviários de origem húngara, rascunho de resposta, argumentos legais
Após a Primeira Guerra Mundial, os Estados da Europa central e oriental foram forçados pelos Aliados vitoriosos e por potências associadas a assinar acordos que garantiam a igualdade religiosa, social e política das populações minoritárias. Os Estados abrangidos eram Áustria, Bulgária, Tchecoslováquia, Grécia, Hungria, Polônia, Romênia e Iugoslávia. Grupos ou indivíduos que acreditavam ter sido discriminados por razões étnicas ou linguísticas poderiam realizar uma petição na Liga das Nações pela reparação do Conselho. A Seção de Minorias dentro do Secretariado da Liga foi responsável por avaliar as petições que chegavam ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Mandato francês para a Togolândia
Em decorrência da Primeira Guerra Mundial, a Alemanha perdeu suas colônias e o Império Otomano foi dividido e forçado a entregar o controle dos territórios no Oriente Médio. Um Pacto da Liga das Nações estabeleceu um sistema sob o qual a Liga conferia a certos Estados mandatos para governar antigas colônias que, na linguagem do Pacto, eram “habitadas por povos ainda incapazes de defenderem-se sob as árduas condições do mundo moderno”. A Grã-Bretanha e o Império Britânico, a França, a Bélgica e o Japão receberam mandatos para administrar vários territórios ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Mandato para a Palestina e memorando do governo britânico sobre sua candidatura à Transjordânia
Após a Primeira Guerra Mundial, o Pacto da Liga das Nações estabeleceu um sistema por meio do qual a Liga detia o poder de conferir a certas potências vitoriosas mandatos para administrar territórios antes ocupados pela Alemanha ou pelo Império Otomano. Os territórios mandatados deveriam ser governados em nome da Liga, até o momento em que pudessem se tornar independentes. Em 16 de setembro de 1922, o Conselho da Liga aprovou um mandato para a Grã-Bretanha sobre a Palestina, antes parte do Império Otomano. O mandato previa a eventual criação ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Convenção sobre a escravidão
A Convenção sobre a escravidão de 1926 foi um acordo entre os estados membros da Liga das Nações que obrigava os signatários a eliminar a escravidão, o comércio de escravos e o trabalho forçado em seus territórios. Ela definia a escravidão como o estado ou a condição de uma pessoa sobre a qual poderes de propriedade são aplicáveis; o tráfico de escravos como atos envolvendo a captura, a venda ou o transporte de pessoas escravizadas; e o trabalho forçado como uma “condição análoga à escravidão” que precisava ser regulado e ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Ratificação por parte da China da Convenção para a supressão do tráfico ilícito de drogas perigosas
A primeira tentativa de caráter global de controlar o tráfico do ópio e de outras drogas perigosas (como a morfina, a heroína e a cocaína) ocorreu através da Convenção de Haia, assinada por 42 nações em 1912. Os Estados signatários concordaram em permitir a importação de tais drogas apenas enquanto consideradas necessárias para propósitos médicos e científicos. A Primeira Guerra Mundial eclodiu antes que a convenção pudesse ser implementada, mas após a guerra a Liga das Nações recebeu a incumbência de reativar a convenção. Logo, tornou-se evidente que, a fim ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Solicitação de passaporte, Comitê Nansen em Berlim
O Comitê Internacional Nansen para os Refugiados foi autorizado pela Liga das Nações no outono de 1930 e iniciou suas operações no dia 1º de abril de 1931. Ele foi o sucessor da primeira agência internacional a lidar com refugiados, a Alta Comissão para os Refugiados, criada em junho de 1921 pela Liga das Nações sob a direção do explorador e estadista norueguês Fridtjof Nansen (1861 a 1930). O Secretariado da Liga assumiu a responsabilidade por refugiados internacionais e pessoas apátridas, encarregando o comitê Nansen de desempenhar suas responsabilidades nesta ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Passaporte Nansen com selos
O passaporte Nansen era um certificado emitido pelo Comitê Internacional Nansen para os Refugiados como um substituto internacional de um passaporte comum, que permitia que pessoas apátridas ou privadas de seus passaportes nacionais entrassem e transitassem em outros países. O Comitê Nansen foi o sucessor da primeira agência internacional a lidar com refugiados, a Alta Comissão para Refugiados, criada em junho de 1921 pela Liga das Nações sob a direção do explorador e estadista norueguês Fridtjof Nansen (1861 a 1930). O Secretariado da Liga assumiu a responsabilidade por refugiados internacionais ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Atentados à bomba na Espanha. Petição enviada à Liga das Nações pela Organização Internacional do Trabalho, pelo presidente do Conselho do Trabalho, Miguel Santalo
A Guerra Civil Espanhola de 1936 a 1939 envolveu uma revolta prolongada das forças lideradas pelo general nacionalista Francisco Franco contra o governo republicano espanhol, que no fim das contas acabou sendo tomado pelos nacionalistas. Sob a liderança do ditador Benito Mussolini, a Itália apoiou os nacionalistas com o fornecimento de armas e o envolvimento militar direto. Entre 16 e 18 de março de 1938, forças italianas realizaram um bombardeio aéreo na Barcelona controlada pelos republicanos, em apoio aos nacionalistas, o que resultou na morte de mais de 1000 civis ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Atentados à bomba na Espanha. Esboço de resposta da Liga das Nações
No dia 31 de março de 1938, Miguel Santalo, presidente do Conselho do Trabalho da República Espanhola, enviou uma petição ao diretor da Organização Internacional do Trabalho solicitando que a Liga das Nações condenasse a Itália por seu bombardeio, entre 16 e 18 de março de 1938, da cidade de Barcelona, que resultou na morte de mais de 1000 civis. A ação italiana foi realizada em apoio às forças nacionalistas do General Francisco Franco, que estavam lutando para derrubar o governo da República Espanhola. Santalo argumentou que o bombardeio contrariava ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Convenção para a Prevenção e Punição do Terrorismo
O documento apresentado aqui é uma cópia de arquivo da Convenção para a Prevenção e Punição do Terrorismo, que foi adotada por 24 países membros da Liga das Nações em 16 de novembro de 1937. As páginas finais do documento contêm as assinaturas dos representantes dos Estados. Em alguns casos, ressalvas, sejam digitadas ou escritas à mão, acompanhavam as assinaturas. O governo francês propôs, após o assassinato do Rei Alexandre I da Iugoslávia, em Marselha, por separatistas croatas e macedônios, que a Liga adotasse uma convenção sobre terrorismo. O texto ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra
Convenção sobre o Estatuto Internacional dos Refugiados
Este documento é o texto original datilografado da Convenção sobre o Estatuto Internacional dos Refugiados, que foi concluído em 28 de outubro de 1933, por cinco países — Bélgica, Bulgária, Egito, França e Noruega — e a que, subsequentemente, vários outros países aderiram. A convenção foi a mais ampla tentativa, da parte da Liga das Nações, de definir as responsabilidades dos Estados em relação aos refugiados. Ela surgiu a partir de quatro acordos multilaterais da Liga que foram adotados entre 1922 e 1928 em resposta a problemas de refugiados causados pela Primeira ...
Fornecido por
Biblioteca do Escritório das Nações Unidas em Genebra